Macarrão pode ajudar a emagrecer, diz estudo

Graças à popularidade de dietas pobres em carboidratos, alimentos como macarrão são amplamente vistos como o inimigo número um quando se trata de perda de peso. Mas um estudo que relaciona macarrão com perda de peso sugere que o alimento dos domingos foi erroneamente difamado.

Macarrão na dieta: o fator glicêmico

De acordo com pesquisadores do St. Michael’s Hospital, em Toronto, no Canadá, tudo se resume ao Índice Glicêmico, que é um sistema usado para avaliar a rapidez com que um alimento afeta os níveis de açúcar no sangue. O açúcar em alimentos com alto índice glicêmico, como arroz branco, pão branco e batatas, é digerido e absorvido pelo corpo, enquanto alimentos com baixo IG, como verduras e lentilhas, são queimados lentamente.

Macarrão incompreendido

Pesquisadores investigaram a suposta ligação entre o consumo de macarrão e o ganho de peso avaliando 30 ensaios clínicos controlados, com quase 2.5 mil participantes considerados saudáveis. Os participantes do estudo comeram porções específicas de massa por semana.

Ao analisar o peso corporal dos participantes, o IMC, a gordura corporal e as medidas da cintura, os pesquisadores chegaram à conclusão que o consumo da massa não contribuiu para o ganho de peso ou aumento dos níveis de gordura. Os resultados poderiam ser explicados pelo fato de que os alimentos com IG mais baixo saciam melhor a fome e, portanto, impedem as pessoas de consumirem mais alimentos, de acordo com os autores.

Falso vilão?

Os pesquisadores observaram que, embora existam muitos tipos de massa, todos eles geralmente têm um status gastrointestinal mais baixo do que outros alimentos ricos em amido, como o pão branco. O estudo enfatizou que embora seja relativamente pobre em fibras, o macarrão tem uma classificação IG semelhante a alimentos ricos em fibras, como aveia e legumes, e uma classificação inferior ao pão integral e batatas com casca. Para esses pesquisadores, parece que o macarrão não é tão ruim assim, certo?

Conteúdo tirado do Site Vix

Aveia ajuda a emagrecer e reduz colesterol ruim

Se você está lutando contra o colesterol elevado, provavelmente já ouviu falar dos poderes da aveia para combater este mal. Por ser rico em fibras solúveis, que se ligam à água e se transformam em um gel capaz de eliminar as gorduras das artérias e impedir que elas sejam absorvidas pelo intestino, o cereal reduz as taxas de LDL (colesterol ruim) e, de quebra, previne o câncer de intestino.

E esses não são os únicos benefícios para quem enche a tigela de aveia. Ela é um cereal rico em diversos nutrientes: fibras, ferro, cálcio, magnésio, zinco, cobre, manganês, vitaminas (principalmente vitamina E) e proteínas, lista a especialista da Setha Consultora Nutricional, Selva Sierro. “Dentre tantas substâncias positivas para a saúde, as fibras solúveis merecem destaque pelas atividades que exercem. Para sentir os efeitos, basta consumi-las diariamente”, diz a nutricionista Roberta Stella.

Com isso, seu intestino fica tinindo e sua saúde comemora. “É no intestino que acontece absorção dos nutrientes necessários ao organismo e a eliminação daqueles que não servem para nada”, diz Selva. Os diabéticos também podem se aliar à aveia, já que suas fibras unem-se ao açúcar dos alimentos, fazendo com que ele demore mais tempo para cair na corrente sanguínea. Quem quer emagrecer tem nela mais uma aliada: A aveia dá uma sensação de saciedade mais rápida e você come menos, explica a nutricionista da Setha.

Resultados à vista

Para desfrutar de tudo isso, Selva afirma que a recomendação para pessoas adultas varia entre 20 e 30 gramas diárias. “Uma colher de sopa cheia de aveia tem em média 20 gramas. Essa quantidade equivale a um grama de fibra”, fala sobre o nutriente que mais se destaca no cereal. O nutriente ainda está presente em outros alimentos, como frutas, vegetais, massas e pães em suas versões integrais. Já o consumo entre as crianças varia de acordo com a idade. “Ele deve começar a partir dos dois anos, salvo recomendação médica”, ressalta Selva. O cálculo é simples: basta somar à idade da criança o número cinco. Se seu filho tem 2 anos, por exemplo, 7 gramas (2 da idade + 5) são suficientes para o aproveitamento dos nutrientes da aveia.

As formas para ingerir o cereal são tão variadas quanto as melhoras que ele traz à saúde. Você pode escolher como vai rechear seu cardápio: com os flocos, o farelo ou a farinha de aveia. “Comparando os três, o farelo é o mais nutritivo, seguido pelos flocos e, depois, pela farinha. Mas as diferenças são mínimas, o importante é ter prazer nas refeições”, conclui Selva.

Conteúdo tirado do Site Minha Vida

Prancha isométrica: 4 variações poderosas para fortalecer o abdômen

Se antes séries de abdominais eram a promessa de uma barriga sarada, agora é a vez da prancha reinar como queridinha nessa missão. Destacada como mais eficiente do que mil abdominais, o exercício pode ser um tanto incômodo, mas também promete ser rápido em seus resultados.

Prancha para fortalecer barriga: variações

Além do abdômen, o exercício também age nos braços, pernas, bumbum, fortalece os músculos do core e pode auxiliar na melhora da postura.

Além da versão mais conhecida no colchonete, a prancha conta ainda com outras variações que podem garantir um treino mais variado e o fortalecimento de muitos músculos, conheça algumas.

Prancha na bola de pilates

Com os antebraços sobre a bola e levemente flexionados, encontre o seu ponto de equilíbrio para, então, deixar os braços a 90º na bola. Pressione o glúteo e o abdômen para voltar à postura inicial.

Repita o exercício 20 vezes, faça uma pausa de 30 segundos e faça mais 30 repetições.

Prancha com bola e banco

Imite a postura com o antebraço a 90º na bola e, quando estiver estabilizado, coloque um pé no banco e o outro em seguida. Fique na posição por cerca de 30 segundo e faça 30 segundos de pausa.

Continue a série aumentando 15 segundos a cada repetição na tentativa de chegar a um minuto.

Esse exercício é muito avançado e há risco de cair caso feito por iniciantes, por isso, é bom contar com a ajuda de um profissional.

Prancha com elevação

Fique em posição de prancha com as mãos apoiadas no colchonete ou um bosu. Quando tiver encontrado seu ponto de equilíbrio, eleve uma de suas pernas até a altura do seu quadril. Fique alguns segundos e volte à posição inicial. Repita com o exercício com a outra perna.

Prancha lateral

Coloque-se de lado e com as pernas unidas. Apoie o cotovelo e o antebraço no chão e alinhe o cotovelo com o ombro. Apoie a outra mão na cintura e eleve o quadril.

Mantenha-se com o abdômen contraído nesta posição por cerca de 30 segundo e descanse outros 30 segundos. Continue a série aumentando 15 segundos a cada repetição na tentativa de chegar a um minuto. Não se esqueça repetir no outro lado.

Conteúdo tirado do Site Vix

Filtro de barro é o melhor para filtrar água, diz estudo

O livro “The Drinks Water Book”, de Colin Ingram conta com uma informação que vai deixar muitos brasileiros animados: o filtro de barro que costumamos usar na cozinha é o melhor sistema de filtragem de água que existe.

De acordo com o livro, os filtros tradicionais com câmara de filtragem de cerâmica apresentam muita eficiência na retenção do cloro, pesticidas, ferro, alumínio, chumbo (95% de retenção) e ainda retém 99% de Criptospordiose, um parasita causador de doença.

Além disso, os filtros de barro contam também com o recurso da filtragem por gravidade. Neles, a água passa pelo filtro e goteja em um reservatório inferior. Esse métodos possibilita que os microorganismos não passem pelo filtro devido a uma grande pressão exercida pelo fluxo de água.

O revestimento de barro também possibilita que a água fique sempre fresquinha. De acordo com a publicação a água fica até 5ºC mais fria em comparação com a temperatura ambiente. Por fim, os filtros de água também não utilizam eletricidade para funcionarem, possibilitando uma economia de dinheiro e energia.

Conteúdo tirado do Site Minha Vida

4 exercícios para queimar gordura mesmo depois do treino

Nem todos os exercícios limitam a perda de peso à duração da prática, significa dizer que, algumas atividades ativam o metabolismo de tal forma que a queima de gordura permanece por até 48 horas. É o que nos mostra o personal Vinícius Possebon com um treino simples e específico para quem quer continuar perdendo peso após as atividades

Treino para acelerar metabolismo

Exercício #1

Deitar no chão com o peito para baixo, faz o movimento de saltar para frente e pula. Fazer o exercício por 15 segundos.

Exercício #2

Corrida parada para recuperar o fôlego para o próximo exercício de alta intensidade. Fazer a caminhada por 1 segundos.

Exercício #3

Fazer o movimento de agachamento até o máximo onde conseguir descer, levantar e saltar. Lembrar de jogar o quadril para trás e não os joelhos para frente. Quanto mais baixo conseguir descer, mais você vai estar trabalhando o glúteo. Fazer por 15 segundos.

Exercício #4

Saltos parado, como se você tivesse pulando corda. Fazer por 15 segundos.

Orientação

Repetir a sequência toda dez vezes, vai dar um total de dez minutos de treino.

O que acontece com o organismo?

A queima prolongada tem como base os princípios do HIIT (Treino Intervalado de Alta de Intensidade, na sigla em inglês). Esse tipo de treino prioriza exercícios de curta duração e maior intensidade para perda de peso.

Ocorre que quando você realiza um treino muito intenso, acaba utilizando uma grande quantidade de oxigênio que faz com que o metabolismo fique bastante acelerado, gastando energia durante todo período em que o corpo ainda não voltou à situação de repouso. Neste período, a perda calórica pode ficar até 15% acima do normal, mesmo quando a pessoa está descansando.

Conteúdo tirado do Site Vix.

2 truques simples que Fátima Bernardes usou para perder 7kg

Após aparecer 7 kg mais magra, a apresentadora Fátima Bernardes, de 55 anos, contou em entrevista ao “GShow” o que a ajudou a conquistar a silhueta mais fina. Fátima afirma que aumentou a frequência de exercícios físicos, passando de três para seis vezes na semana, sendo divididos entre dois dias de aulas com um personal trainer e quatro de dança.

Além disso, a apresentadora revela que sua alimentação passou por algumas mudanças básicas, porém nada restritivo. “O que eu estou fazendo é comer de maneira equilibrada. Óbvio que de segunda a sexta-feira eu não estou comendo doce, mas aos fins de semana fico mais à vontade”, completa.

Apesar de serem dicas comuns, não é tão simples colocar esses passos em prática. Por isso, abaixo listamos quatro formas eficazes para você diminuir o consumo do açúcar no dia a dia. Confira:

Priorize refeições em casa

Mesmo comendo em restaurantes que preparam a comida na hora, não é possível saber quais alimentos levam açúcar e em qual quantidade. Por isso, dê sempre preferência a comer em sua própria casa, onde você pode ter maior controle, principalmente quando você cozinha. “Não se esqueça de usar temperos naturais e buscar produtos o mais naturais possível”, recomenda a nutricionista Maria Fernanda Cortez.

Evite alimentos processados

O gosto salgado dos alimentos processados, como a salsicha, esconde a quantidade exorbitante de açúcar que eles contêm. “A aparência atraente e brilhante se dá graças ao açúcar, que forma uma espécie de calda em volta deles”, alerta a nutricionista Amanda Epifânio. Segundo ela, o açúcar também é bastante usado como conservante de alimentos. Para parecerem mais saudáveis, portanto, alguns produtos que adotam a estratégia anunciam serem livres de conservante, como se o açúcar fosse apenas mais um ingrediente de sua composição. Por isso, leia atentamente os rótulos e não se deixe enganar pelas propagandas.

Corte refrigerante e sucos industrializados

“Abolir o refrigerante da alimentação é a primeira e mais eficiente medida para reduzir o consumo de açúcar”, afirma Amanda. Segundo a profissional, beber uma latinha de refrigerante todos os dias resulta na ingestão de um quilo de açúcar no fim do mês. Também devem ser evitados sucos de caixinha, que, apesar do nome, tem mais conservantes, açúcar e corante do que suco, de fato. “Para matar a sede, nada melhor do que água, sucos naturais diluídos ou isotônicos, quando se estiver praticando exercícios”, ela complementa.

Engane a vontade com chiclete sem açúcar

Se mesmo comendo uma fruta depois do almoço não foi possível matar a vontade de comer algo doce, faça mais uma tentativa mascando chiclete sem açúcar. O sabor e a mastigação acabam enganando o desejo em muitas pessoas. “Só não é recomendado mascar chiclete de estômago vazio, pois isso leva à produção de ácido gástrico no estômago que, se estiver vazio, pode desencadear uma gastrite”, explica a nutricionista Amanda.

Conteúdo tirado do site Minha Vida

Benefícios do abacate para a saúde

Por muito tempo o abacate foi considerado um verdadeiro inimigo da alimentação, visto como uma fruta gordurosa e calórica. No entanto, hoje já se sabe que as gorduras encontradas no abacate, mesmo sendo calóricas, são responsáveis pela redução dos níveis de colesterol e triglicerídeos no organismo, podendo prevenir doenças cardíacas e até o câncer.

Benefícios do abacate

O abacate pode agir como anti-inflamatório natural e antienvelhecimento, além de reduzir os níveis de glicose no sangue diminuindo o estresse. A ação anti-inflamatória que a ingestão do abacate proporciona é graças a vitamina E. Outra substância importante encontrada na fruta é o beta sitosterol, responsável no controle do hormônio do estresse, o cortisol. Além disso, ajuda na hidratação adequada da pele e dos cabelos (veja aqui como hidratar o cabelo com a fruta).

Também é uma fruta calórica e rica em lipídeos: 77% das calorias no abacate são de gordura. No entanto, as gorduras presente nesse alimento são de alta qualidade, se assemelhando às propriedades físico-químicas do azeite de oliva. A maior parte da gordura presente no abacate é ácido oleico. Este é um ácido graxo monoinsaturado, que tem sido associado à inflamação reduzida e tem demonstrado efeitos benéficos sobre os genes ligados ao câncer. O óleo de abacate apresenta diversos compostos bioativos, possuindo carotenóides, ácido ascórbico, compostos fenólicos, tocoferóis, fitoesteróis, entre outros. O abacate é rico em:

  • Cálcio
  • Potássio
  • Vitamina C
  • Fósforo
  • Manganês
  • Magnésio
  • Lipídios
  • Ferro
  • Cobre
  • Zinco
  • Vitamina E
  • Vitamina A (4, 5)

Abacate ajuda a emagrecer

O abacate é fonte de ômega 6, ômega 9 e ômega 7. Esses nutrientes mantém o equilíbrio no organismo, auxiliando a perda de gordura corporal. Além disso, ele pode ser incluído na dieta porque é rico em fibras, o que garante o funcionamento do intestino, além de saciar a fome. Um estudo conduzido pelo pesquisador Wien M (2013) mostrou que as pessoas que comeram abacate se sentiram 23% mais satisfeitas e tiveram um desejo 28% mais baixo de comer durante as próximas 5 horas, quando comparado com o grupo que consumiu outro alimento.

Melhora o rendimento nos treinos

O abacate ajuda a melhorar o rendimento do treino porque é um alimento muito calórico. Quando consumido antes da atividade física, o abacate ajuda na hipertrofia muscular, pois fornece energia para o treino. Além disso, contém proteína, macronutriente que ajuda na recuperação muscular. Sem contar que repõe sais minerais e ajuda a prevenir cãibras em corredores.

O potássio, também presente nessa fruta, é indicado para a recuperação muscular, ajuda na absorção das proteínas, é rico em ácido fólico, auxiliando na formação do tecido muscular, e atua nos hormônios aumentando os níveis de testosterona, que resulta em ganho de massa magra.

O abacate ainda auxilia na redução da inflamação das células, o que minimiza as dores causadas pelo exercício (fadiga). Pode ser consumido antes do treino para ter energia e depois dos exercícios, para repor os sais minerais, atuando como isotônico natural. (4, 5)

Abacate tem alto teor de fibras

Ricos em fibras, uma porção de 100 gramas de abacate contém 7 gramas de fibra, o que corresponde a 27% da quantidade diária recomendada. Grande parte da fibra do abacate é solúvel, devido a presença de gorduras monoinsaturadas (ácido oleico), que ajudam a reduzir significativamente os níveis de colesterol total, do triglicérides do sangue, além de controlar o colesterol LDL (considerado ruim) e aumentar o HDL (o colesterol bom).

Ajuda no controle do colesterol e do triglicérides

Por ser rico em ácidos graxos monoinsaturados e em fibras solúveis, o abacate auxilia no controle e na prevenção de doenças cardíacas, já que promove a redução e o controle do colesterol LDL (colesterol ruim), aumenta colesterol HDL (colesterol bom) e reduz níveis de triglicerídeos. A presença de antioxidantes e minerais também auxilia na melhora da circulação sanguínea, favorecendo a saúde cardíaca.

O ácido oléico e o B-sitosterol do abacate são utilizadas como coadjuvantes no tratamento da hipercolesterolemia, impedindo a absorção de parte do colesterol no intestino e diminuindo a síntese hepática. Além disso, estudos comprovaram redução no risco de doenças cardiovasculares associadas ao consumo de óleo de abacate.

O b-sitosterol do abacate auxilia na redução dos níveis de colesterol, porque compete pelos mesmos campos de absorção. Assim, ele diminui sua própria absorção no intestino e sua produção no fígado também é reduzida. Por ter 63% de ácidos graxos monoinsaturados, como o ácido oleico, o abacate promove esse controle.

O abacate também melhora o perfil lipídico de uma forma geral. Suas fibras auxiliam na redução e controle do triglicérides, mas para notar o benefício é preciso diminuir o consumo de gorduras consideradas prejudiciais e a ingestão de alimentos ricos em açúcar.

Impede o surgimento de gases

A polpa do abacate tem propriedade carminativa (reduz a produção de gases) e é útil contra o ácido úrico. O chá das folhas, casca e sementes raladas ou moídas é considerado como diurético, favorecendo a digestão gástrica, além de ser estimulante da vesícula biliar. Portanto, pode ser utilizado em casos de prisão de ventre, diarreia e flatulências. As folhas do abacateiro também são altamente digestivas.

Abacate ajuda o funcionamento do cérebro

A presença das gorduras benéficas e de antioxidantes no abacate promove o bom funcionamento cerebral. Destacam-se a luteína (carotenóide) e o ômega 3, aliados importantes para otimizar a memória, por estimularem a renovação das células cerebrais.

Abacate pode ser consumido na gravidez?

O abacate é fonte de vitaminas do complexo B, E e ácido fólico, além de gorduras importantes como ômega 3, 6 e 9 e, especificamente para as gestantes, pode trazer muitos benefícios:

  • Bom funcionamento intestinal, porque é fonte de fibras
  • Trazer saciedade, fator importante para manter o peso nesse período, já que a progesterona pode aumentar a fome
  • Reduz o colesterol ruim por meio dos fitoesteróis que competem pelo mesmo campo de absorção
  • Fortalece o sistema imunológico por sua composição de vitaminas
  • Oferece boa ingestão de gorduras ômegas, relacionadas à melhor função cognitiva do bebê

Vale ressaltar que, apesar das vantagens, o consumo não deve ultrapassar 100g ao dia, por causa do alto valor calórico. Ou seja, se consumido em excesso pode favorecer o ganho de peso.

Diferenças do abacate e do avocado

O avocado é uma variedade do abacate, sendo menos calórico, com cerca de 10% a menos de calorias que o abacate. O avocado é bem menor que o abacate, além de ter a casca mais grossa e bem mais escura. Em comparação com sua versão comum, o avocado possui:

  • Maior quantidade de potássio e fibras
  • Mais vitaminas E e B6
  • Mais gordura saudável
  • Menos água

Como consumir o abacate para emagrecer

O abacate pode aumentar a produção de GH, o hormônio do crescimento, que auxilia a formação de músculos. Estes, por sua vez, gastam mais calorias, principalmente se consumido à noite, quando há pico na produção desse hormônio. A quantidade que deve ser consumida para obter o benefício é de uma a três colheres do fruto. O abacate pode ser ingerido de 2 a 3 vezes por semana, sozinho ou como complemento de outras refeições, como saladas ou lanches, desde que seja respeitada a quantidade de 100g do fruto.

Conteúdo tirado do Site Minha Vida

Comer 1 ovo por dia faz crianças crescerem mais altas e fortes

Uma pesquisa realizada pela saúde pública dos Estados Unidos e do Equador apontou que as crianças que tiveram ovos incluídos diariamente na alimentação, a partir do sexto mês de vida, ficaram maiores e mais altas.

O estudo foi realizado com 163 bebês, de 6 a 9 meses, e foi feito em uma região humilde do Equador, sendo que peso e altura de todos os participantes foram avaliados toda semana.

Os resultados também mostraram que aqueles que comeram ovos reduzem em 74% as chances de ficarem abaixo do peso e em 47% as chances de serem raquíticas ou sofrerem atrofia muscular.

Bebê pode comer ovo?

Muito citado quando o assunto é alimentação saudável, o ovo é fonte muito rica de nutrientes. “Ele tem um valor biológico de proteína que é ótimo, tem nutrientes chamados colina e luteína, que são complexos B que ajudam no desenvolvimento do cérebro, dos músculos e do coração, além de também auxiliar o melhor funcionamento do sistema nervoso central. A luteína, por exemplo, presente na gema, está ligada ao desenvolvimento da visão”, esclarece a nutricionista infantil Priscila Maximino, do Hospital Sabará de São Paulo.

Para a especialista em alimentação infantil, incluir o ovo diariamente na rotina alimentar dos bebês é interessante, quando acompanhado de outros alimentos importantes. A introdução de alimentos na rotina das crianças acontece aos poucos.

Introdução alimentar

Primeiro, inclui-se as frutas, que devem ser amassadas e dadas uma vez ao dia. Depois, aumenta-se a frequência, passando para duas vezes ao dia.

No sétimo mês, os alimentos gerais são incorporados. “Esses momentos são de descoberta e é preciso observar a criança, é um período em que ela pode desenvolver alergia aos alimentos, então é preciso cuidado. Costumo indicar pelo menos um alimento de cada grupo alimentar como cereal, proteína, carboidrato”, conta a nutricionista.

Antes disso, o aleitamento exclusivo, período em que os médicos indicam que as mães amamentem os recém-nascidos unicamente com leite, dura em média seis meses. “É interessante respeitar esse período, porque quando damos comidinhas antes disso, os bebês costumam rejeitar”, explica Priscila.

Na hora de colocar o ovo nas refeições do bebê, Priscila ainda lembra que o ideal é fazê-lo cozido ou mexido e deve ser oferecido junto com os demais alimentos, como batatas, macarrão e vegetais.

Conteúdo tirado do Site Vix

Pastelzinho de aveia, linhaça e mandioca

Ingredientes

  • 1/2 xícara de farinha de aveia
  • -4 colheres (sopa) de linhaça dourada triturada (farinha)
  • -2 colheres (sopa) cheias de mandioca bem cozidinha e amassada
  • -1 colher (sopa) de azeite de oliva
  • -sal e temperos a gosto
  • -água necessária pra dar o ponto

Modo de preparo

Num pote, misture as farinhas e os temperos. Acrescente o purê de mandioca e o azeite. Amasse bem com as mãos até obter uma massinha homogênea. Acrescente um pouquinho de água para dar o ponto na massa. Use cerca de 2 colheres (sopa). A massinha fica boa de trabalhar e não gruda nas mãos. Deixe descansando um tiquinho – a massa vai absorver a água e pode ser necessário o acréscimo de mais, já que ela dá uma ressecadinha!

Se perder o ponto da massa por acrescentar mais água que o necessário, só ir colocando mais farinha de aveia aos poucos. Abra a massa e corte em círculos. Sugiro dividir a massinha em 12 porções e abrir e numa bancada enfarinhada com fécula de batata. Recheie a gosto. Feche, pressionando um garfo nas bordas. Leve para assar em forno pré-aquecido 180C até dourar. Quando começa a dourar, sugiro aumentar o forno pra 200C. Quando as bordinhas começam a corar, é hora de tirar. Rende em média 10-12 mini pasteis, vai depender da espessura e tamanho de cada um. Podem ser congelados!

Torta de abacate light

Com boas soluções para o dia a dia, a nutricionista Aline Quissak traz em seu Instagram dicas para ter uma boa alimentação e receitas deliciosas. Se você está de dieta, mas não consegue fugir de um docinho não precisa se preocupar, trazemos a receita perfeita para você. Aprenda a fazer essa incrível torta de abacate:

Base da torta:

Ingredientes: -15 tâmaras; -1 xícara de farinha de amêndoas.

Modo de preparo: Retire o caroço das tâmaras, junte com a farinha de amêndoas e bata no processador por 2 minutos. Ficará uma massa fácil de moldar. Coloque na forma antiaderente.

Recheio:

Ingredientes: -2 abacatinhos (avocado); -5 colheres de óleo de coco; -3 colheres de melado de cana ou mel; -2 colheres de raspa de limão; – 1 colher de sopa de essência de baunilha; -1 sache de gelatina sem sabor

Modo de preparo: Derreter o óleo de coco e dissolver a gelatina conforme a instrução da embalagem. Bater os demais ingredientes no processador ou liquidificador até virar um creme liso e adicionar por último o óleo de coco com a gelatina. Mexa bem para homogenizar. Despejar na forma por cima da base. Levar para gelar por 1 hora. Adicione raspas de limão por cima e aproveite!

Conteúdo tirado do Site Minha Vida